Escolha uma Página

O que fazer em Lençóis

Um guia completo com dicas sobre o que fazer em Lençóis

Um guia completo com dicas sobre o que fazer em Lençóis, a melhor cidade – base da Chapada Diamantina: o que conhecer, como chegar, onde comer, onde ficar, distância até os principais atrativos, o que fazer à noite e muito mais! Se você gosta de ecoturismo, mas não abre mão de uma boa infraestrutura durante sua viagem, esta é a cidade da Chapada Diamantina em que você deve se hospedar para começar a explorar a região.

Introdução

Janela, Casa Dna Raquel, Vale do Pati, Chapada Diamantina, Bahia (9)

Lençóis, na Bahia, é a principal base para quem deseja conhecer as trilhas e cachoeiras do Parque Nacional da Chapada Diamantina. Localizada em meio às montanhas, a charmosa cidade oferece uma boa variedade de pousadas e restaurantes deliciosos, além de diversos atrativos naturais ao seu redor.

Há muito o que fazer em Lençóis, na Bahia, eleita como “Melhor Destino Nacional” em 2019. As casinhas coloridas do século 19, o rio que atravessa a cidade, as histórias dos moradores mais velhos…Tudo nesta cidade de pouco mais de 11 mil habitantes remete ao passado.

As sandálias de couro cru nas lojas ainda lembram os tempos dos jagunços. As pedras e casario colonial mantêm acesa a lembrança do garimpo. Com os pés nos paralelepípedos, há muito que caminhar, ver e sentir em Lençóis, a antiga capital do diamante.

A lista do que fazer em Lençóis é bem longa e, para te ajudar a planejar sua viagem à “capital da Chapada Diamantina”, iremos dar diversas dicas sobre a cidade, como chegar, falar sobre os atrativos, etc. Confira abaixo nosso guia detalhado sobre o que fazer em Lençóis, na Chapada Diamantina!

Resumo:

Um guia completo com dicas sobre o que fazer em Lençóis, a melhor cidade – base da Chapada Diamantina: o que conhecer, como chegar, onde comer, onde ficar, distância até os principais atrativos, o que fazer à noite e muito mais! Se você gosta de ecoturismo, mas não abre mão de uma boa infraestrutura durante sua viagem, esta é a cidade da Chapada Diamantina em que você deve se hospedar para começar a explorar a região.

Por quê Lençóis é a melhor cidade para ficar na Chapada Diamantina?

Saiba porque Lençóis é a melhor cidade-base para começar a explorar a Chapada Diamantina!

Lençóis, Bahia é principal base de hospedagem para quem visita a Chapada Diamantina. A cidade abriga o maior números de agências de turismo, pousadas e hotéis da região e tem restaurantes de nível internacional. Para quem não abre mão de infraestrutura durante a viagem, Lençóis é com certeza a melhor opção para se hospedar na Chapada Diamantina e conta até mesmo com um aeroporto, que recebe dois voos por semana.

Como se não bastassem todas estas vantagens, Lençóis é uma cidade deliciosa! Os casarões históricos coloridos e ruas de pedra são muito charmosos! A gastronomia se destaca com cardápios regionais bem elaborados e à noite ainda é possível aproveitar a vida noturna no centro histórico, tomar cerveja artesanal enquanto escuta os artistas de rua e até mesmo ir pra balada! Com certeza, não faltará o que fazer em Lençóis, Bahia!

Os principais passeios da Chapada Diamantina podem ser feitos a partir de Lençóis, o que facilita muito a vida do turista. As agências de turismo locais oferecem pacotes de viagem para todos os mais famosos atrativos da Chapada Diamantina. Apesar de todo este charme, isto não significa que você deve hospedar-se apenas em Lençóis durante sua viagem, especialmente se você tiver muitos dias na região.

Uma dica é buscar roteiros que façam pernoites em outras cidade e evitar deslocamentos muito longos, como é o caso da Cachoeira do Buracão, que fica no sul da Chapada Diamantina, na cidade de Ibicoara. A depender da quantidade de dias na região, o ideal é dividir o tempo na Chapada em duas ou três cidades bases. Assim, o deslocamento será menor e o desgaste da viagem também. Entretanto, se tiver pouco tempo e for usar apenas uma cidade base para passar as noites na região, com certeza Lençóis é a melhor entre elas.

Qual a distância entre Lençóis e algumas das atrações da Chapada Diamantina?

Visitar as principais atrações da Chapada Diamantina saindo de Lençóis não é tarefa difícil. O Pai Inácio, o mirante mais famoso e acessível da região, fica a apenas 25 minutos de carro de Lençóis, Bahia. Se estiver pensando em vir de carro próprio ou alugado, saiba que boa parte dos trechos é feito em estrada de terra.

Veja abaixo as distâncias de carro para alguns dos passeios da Chapada Diamantina saindo de Lençóis:

– Rio Mucugezinho e Poço do Diabo: 20 km (40 km ida e volta)
– Morro do Pai Inácio, o mais famoso cartão postal da Chapada Diamantina: 29 km (58 km ida e volta)
– Cachoeira do Mosquito: 40 km (80 km ida e volta)
– Gruta da Pratinha: 48 km (96 km ida e volta)
– Gruta da Lapa Doce: 67 km (134 km ida e volta) – este atrativo fica na mesma região que a Pratinha, a 10 km de distância e podem ser visitados no mesmo dia
– Cachoeira da Fumaça: 76 km ( 152 km ida e volta)
– Poço Azul: 95 km (190 km ida e volta)
– Poço Encantado: 140 km (280 km ida e volta) – este atrativo fica próximo ao Poço Azul, a 27 km de distância e podem ser visitados no mesmo dia

O que fazer em Lençóis a pé: conheça os atrativos naturais e cachoeiras de Lençóis

Todos os anos, a cidade de Lençóis é destino de milhares de turistas amantes da natureza, que visitam a Chapada Diamantina em busca de trilhas e cachoeiras. Dentro ou bem perto da cidade, há inúmeras quedas d’água, rios e grutas que podem ser acessados a pé, sem uso de veículo. Vamos falar um pouco desses lugares incríveis para sua lista do que fazer em Lençóis a pé!

1. Caldeirões do Serrano e Parque da Muritiba

Apenas 15 minutos a pé do centro da cidade, está o Parque da Muritiba e os Caldeirões do Serrano, com poços naturais, pequenas quedas d’água e uma vista maravilhosa da cidade. O leito do rio é imenso e repleto de belas formações rochosas conglomeradas e mais de 40 “banheiras de hidromassagem natural”. As mais acessíveis e maiores costumam ficar cheias de turistas e moradores locais, mas se você explorar um pouco mais o leito do rio, pode dar de cara facilmente com uma piscina particular de borda infinita, com vistas para a cidade. Especialmente no final do dia, as luzes do cair do sol deixam o visual ainda mais fascinante!

Passando os caldeirões e adentrando um pouco mais no Parque da Muritiba, você pode visitar muitas outras cachoeiras passando por antigos garimpos. As trilhas levam a pequenas quedas escondidas e piscinas naturais de água cristalina realmente mágicas! No trajeto, é possível conhecer no mesmo dia, sem muito esforço, o belíssimo poço transparente da Cachoeirinha, mergulhar no Poço Halley, e visitar também a Cachoeira da Primavera e o Salão de Areias Coloridas, passando por um mirante da cidade. É possível até mesmo praticar escalada esportiva em rocha, nos enormes blocos de pedra do leito do rio.

Um guia será bastante útil para aproveitar bem o passeio e conhecer todos os atrativos, pois as trilhas não são sinalizadas e nem todos os lugares são fáceis de encontrar. O passeio pode ser feito em meio período, mas é delicioso passar o dia inteiro no Parque da Muritiba para aproveitar bem todos os lugares. Muitas agências oferecem este passeio combinado com o Ribeirão do Meio.

2. Ribeirão do Meio

A trilha que leva ao Ribeirão do Meio é fácil e dura cerca de 40 minutos. O destaque do lugar é um tobogã natural, que faz este atrativo ser um dos mais divertidos para passar uma tarde em Lençóis. O “escorregador natural” na rocha tem cerca de 40 metros de comprimento e é bastante íngreme. Um guia poderá te orientar bem sobre a altura e locais onde escorregar, se você quiser ter esta experiência. Uma dica: veja alguém escorregando antes de ir e leve um short extra, pois às vezes o tecido se rompe em alguma parte do escorregador. O poço é grande e o banho é excelente.

No local, é possível comprar bebidas no isopor de Leôncio, que às vezes também vende espetinhos de carne. Na volta, vale a pena parar para tomar uma água de coco e relaxar nas redes de Usquinha, que vive em uma casinha de barro na trilha e oferece lanches rápidos e bebidas, além de uma prosa muito boa, já que é uma lenda local do tempo dos diamantes. 

4. Cachoeira do Sossego

A Cachoeira do Sossego é a melhor pedida para quem gosta de aventura e quer fazer uma boa trilha sem precisar pernoitar fora de Lençóis, nem andar de carro. A trilha e a cachoeira são lindas, mas o percurso é bem puxado e exige um bocado dos viajantes. É preciso ter um preparo físico razoável, técnica e habilidade para pular pedras. Para chegar lá, você percorrerá trechos de subida e descida na mata e uma boa parte no leito do rio, que fica dentro de um cânion sensacional!

A trilha tem 14 km e dura cerca de 6 horas para ir e voltar, passando por alguns obstáculos e pulando pedras. O esforço é muito bem recompensado com um banho refrescante na queda d’água de cerca de 20 metros de altura, emoldurados em um paredão rochoso de vários níveis, dentro de um lindo cânion. O grande poço de águas cor de caramelo proporciona um banho tranquilo e delicioso para recuperar as energias para a volta. É possível combinar este passeio com o Ribeirão de cima – repleto de caldeirões de água que formam hidromassagens naturais – ou com o Ribeirão do Meio e seu escorrega natural.

É recomendável fazer este passeio com guia, pois o caminho não é muito simples, nem bem marcado. Nas pedras do chão, há setas que apontam para lugares errados e é muito fácil sair da trilha e entrar no leito do rio, o que faz com que seja mais fácil se perder.

6.Barro Branco

Na parte norte de Lençóis, subindo ainda mais as montanhas, há um local chamado Barro Branco, que conta com diversas atrações naturais, como o rio Mandassaia e a gruta do Lapão, onde é possível descer 50 metros de rapel na boca da caverna. Também é possível começar ou terminar a trilha Barro Branco – Pai Inácio, que conta com visuais belíssimos entre as montanhas.

O lugar é ainda pouco visitado por turistas, mas já há bastante moradores no povoado, que buscam se refugiar nas montanhas para viver uma vida ainda mais próxima à natureza. O local também é famoso por vias de escalada esportiva.

3. Ribeirão de Baixo

Um dos lugares favoritos dos moradores locais, o Ribeirão de Baixo é uma ótima opção do que fazer em Lençóis. A piscina natural é grande e ótima para banho. A caminhada dura cerca de 1 hora, saindo do centro da cidade. Se o nível do rio estiver baixo e você curtir aventura, é possível chegar ao Ribeirão do Meio pulando pedras enormes no leito do rio.

7. Escalada e Rapel

Dos paraísos buscados por escaladores do mundo, Lençóis e a Chapada Diamantina em geral, é um destino bem completo em relação à diversidade de rochas, cenários e desafios no Brasil. A região tem todas as modalidades de escalada possíveis, a tradicional, a esportiva e o boulder. Também há diversidade de rochas: arenito, quartzito, conglomerado e muita mata nativa para transformar em vias, algumas com cachoeiras e rios por perto, o que torna a prática do esporte ainda mais prazerosa.

Nos arredores de Lençóis (BA), é possível praticar escalada em rocha e boulder no Parque da Muritiba e Barro Branco. Depois do esforço, sempre há um rio ou cachoeira por perto, para relaxar e refrescar, o que torna a experiência ainda melhor! Para os amantes de outros esportes verticais, há ainda a possibilidade de fazer rapel e Cave Jumping na Gruta do Lapão e também rapel na Cachoeira do Capivari. Engana-se quem pensa que as vias atraem apenas montanhistas experientes: um iniciante pode facilmente divertir-se por um dia inteiro, tanto assim que diversas famílias procuram por pacotes deste tipo, em busca de novas emoções nas férias.

5. Trekkings com acampamento ou Trekkings avançados de 1 dia

Saindo de Lençóis, é possível fazer várias trilhas avançadas e extremas

A Chapada Diamantina é um dos destinos preferidos para os praticantes de trekking no Brasil e no mundo. É o paraíso perfeito para aventureiros dispostos a encarar longas caminhadas por terrenos irregulares de subidas e descidas íngremes, para chegar em belíssimas paisagens e cachoeiras. Saindo de Lençóis, é possível fazer várias trilhas avançadas e extremas, mas é preciso estar muito bem preparado fisicamente para estes roteiros, pois tem alto grau de dificuldade e não são recomendadas para iniciantes.

Se você for um aventureiro experiente, vale a pena incluir na lista do que fazer em Lençóis um destes espetáculos da natureza: Cachoeira do Fundão, Cachoeira do XXI, Cachoeira da Mixila, Cachoeira do Palmital, Cachoeira do Capivari, Cachoeira do Capivara, Cachoeira do Samuel, Cachoeira da Fumaça por Baixo.

A contratação de um guia é indispensável, pois os atrativos ficam em lugares bastante remotos, com natureza selvagem, e é necessário fazer acampamento. Muitas vezes, as trilhas desaparecem e não são muitos os guias dispostos a encarar este tipo de aventura. Dependendo do roteiro, é preciso caminhar por 2 ou 3 dias, levando barraca e suprimentos para todo o trajeto, o que não é uma tarefa fácil! Para quem tem pouco tempo e muita disposição e preparo físico, é possível visitar algumas destas cachoeiras em um trekking intenso de 1 dia, mas é preciso sair bem cedo, por volta de 5:00 ou 6:00, disposto a subir e descer serra por muitos quilômetros.

City tour histórico

Quem escolher Lençóis como cidade – base na Chapada Diamantina pode – e deve! – aproveitar também para visitar a cidade e não apenas os atrativos turísticos naturais. Lençóis é tombada pelo Patrimônio HIstórico e Artístico Nacional (IPHAN) e oferece um belo roteiro arquitetônico pelos casarios coloniais do século XIX, que tomam conta das ruas no Centro Histórico e revelam traços de quando Lençóis viveu o auge do garimpo.

Um passeio pelas ruas cheias de histórias do tempo dos diamantes é uma experiência de encher os olhos: Lençóis conserva viva a memória dos anos áureos da exploração do garimpo. Em suas ruas de pedra, a “Capital do Diamante” revela parte da história do Brasil. O casario conserva suas características originais e é possível deparar-se com belezas arquitetônicas como o Mercado Cultural e a Praça dos Nagôs, a Igreja do Rosário, a Igreja do Senhor dos Passos e a Prefeitura de Lençóis, herança da época em que a extração de diamantes fez a riqueza local. Isso sem falar da ponte sobre o Rio Lençóis e o Coreto, que são um verdadeiro charme!

Para conhecer bem a história local dos coronéis e detalhes muito interessantes sobre Lençóis, vale  a pena fazer um passeio guiado com as agências locais. Durante o tour, você fica sabendo, por exemplo, onde era o Consulado Francês, instalado nesta pequena cidadezinha para tratar da exportação de diversos diamantes que foram para o mercado europeu. Para finalizar, um café expresso com vistas para o rio Lençóis no restaurante Azul, do Hotel Canto das Águas irá fechar com chave de ouro este passeio.

Principais atrações ao redor de Lençóis: passeios bate e volta saindo de Lençóis

A partir de Lençóis, é possível fazer bate e volta para vários dos mais famosos atrativos da Chapada Diamantina, especialmente para quem visita pela primeira vez. As agências locais costumam montar roteiros com duas ou três atrações por percurso. O custo dos passeios fica em torno de R$ 250 por pessoa, em grupo, com refeições e taxas de entrada incluídas.

Confira três dos principais atrativos que podem ser feito em bate-e-volta, saindo de Lençóis:

 

1. Cachoeira do Mosquito

A cerca de 40 km de Lençóis, passando por trechos de estrada de terra, fica a Cachoeira do Mosquito e sua deliciosa hidromassagem natural. Não se preocupe em reforçar o repelente: a cachoeira tem este nome por conta dos pequenos diamantes encontrados no local, chamados de “mosquitos” pelos garimpeiros.

A queda d’água de cerca de 70 metros cai em um paredão rochoso folhado, que torna o visual impressionante. Também é possível avistar a cachoeira de outro ângulo, pela parte de cima, no topo de um mirante. A trilha é fácil e bem acessível, com escadas. O passeio para a Cachoeira do Mosquito é vendido junto com o Poço Azul, o Poço do Diabo ou o Complexo Arqueológico Serra das Paridas.

 

2.  Pai Inácio

A 1.120 metros de altitude, o morro do Pai Inácio descortina a mais bela vista panorâmica da Chapada Diamantina. São 360 graus de paisagem de tirar o fôlego, ainda mais no pôr do sol. Uma subida de cerca de 20 minutos – com 300 metros íngremes, não é tarefa difícil: desde 2018, o atrativo mais famoso da região ganhou escadas e corrimão para facilitar o acesso nos trechos mais técnicos. Localizado a apenas 26 km de Lençóis, pode ser visitado em apenas uma parte da tarde ou da manhã.

À medida que vamos subindo, cenários fantásticos vão aparecendo, como o Morro do Camelo, o Morrão e o Três Irmãos, um dos mais famosos cartões postais da Chapada Diamantina. Como este atrativo fica bem próximo à Lençóis, pode ser visitado no mesmo dia das Grutas Torrinha, Pratinha e Lapa Doce ou pode ser combinado também com  cachoeiras do Poço do Diabo e Mosquito.  Leve um casaco, pois o vento lá em cima é frio e o tempo pode mudar inesperadamente.

 

3.  Gruta Lapa Doce

A Gruta da Lapa Doce faz parte de um sistema de 42 km de cavernas e é uma visita extraordinária para os amantes de belezas subterrâneas. Atualmente, apenas 850 metros deste paraíso estão abertos à visitação, mas já é suficiente para uma experiência bem interessante!

Com capacetes e lanternas, os visitantes exploram os salões amplos e sua infinidade de estalactites e estalagmites, belíssimas formações que, por vezes, têm formatos curiosos. Algumas foram batizadas com nomes sugestivos como Presépio, Lustre, Anjo, Leão, Sapo, dentre outras.

O tempo total do passeio é 1h30 minutos e é possível combinar a visita aos atrativos Poço do Diabo, Gruta da Pratinha e Pai Inácio no mesmo dia. Uma dica é ir de tênis, já que não é permitido entrar na caverna calçando chinelos ou sandálias.

 

Onde ficar em Lençóis?

Como já dissemos aqui antes, Lençóis é a principal base de hospedagem para quem visita a Chapada Diamantina. De simples albergues a Roteiros de Charme, a charmosa cidade oferece mais de 4 mil leitos, aeroporto e maior diversidade de serviços, entre meios de hospedagem, agências de turismo e restaurantes.

As grandes redes hoteleiras e o turismo em massa ainda não chegaram por aqui. Há opções para todos os bolsos, desde quartos compartilhados em albergues como o Viela Hostel a quartos super luxuosos com jacuzzi e vistas ao rio Lençóis, no Hotel Canto das Águas, um dos Roteiros de Charme da região. Nos sites de hospedagem como Booking e AirBnb, dá para encontrar de tudo: hotéis de luxo ou com estrutura para crianças, pousadas sofisticadas, pousadas simples, camping e hostels. Um outro ponto forte das hospedagens de Lençóis é o café da manhã regional, que faz parte das lembranças de boa parte dos turistas que passam por aqui!

Para quem busca pousadas e hotéis de alto padrão e não está com orçamento limitado, vale conferir o Hotel de Lençóis, o Hotel Canto das Águas e a Estalagem do Alcino. Para opções rústicas e charmosas, a pousada Canto no Bosque e a Pouso da Trilha são ótimas opções. Aqueles que buscam por algo simples, de bom gosto  e com grande contato com a natureza, devem dar uma olhada na Pousada da Fonte e Pousada Canto Verde. Para economizar, escolha o Viela Hostel ou quartos na casa de moradores no centro da cidade, onde você pode se sentir realmente parte da comunidade desta pequena cidade vibrante, e às vezes barulhenta.

O que fazer em Lençóis à noite?
Vida noturna e restaurantes em Lençóis

Como a maioria das pessoas passa o dia nas cachoeiras, o movimento no Centro Histórico de Lençóis começa ao entardecer, quando bares e restaurantes instalados nos casarões do Século XIX abrem as portas, reunindo os grupos que passam o dia caminhando pelas atrações naturais. A gastronomia em Lençóis é um dos pontos fortes: há desde comida típica regional até releituras de grandes chefs utilizando ingredientes locais. Mais abaixo, neste post, daremos dicas detalhadas sobre onde comer em Lençóis, pois este atrativo merece um espaço à parte!

Com o cair do sol, as velas e lamparinas iluminam artistas de rua e músicos contratados pelos restaurantes, o que faz com que seja possível degustar uma comida deliciosa ao som de música de muito boa qualidade.

Como a maioria dos turistas precisam acordar cedo para os passeios e caminhadas, a vida noturna não é o ponto forte de Lençóis, já que o foco da região é turismo de natureza. Mas, caso esteja pensando em sair mais tarde para os passeios ou curtir um dia mais relax na cidade, há discotecas e bares com música ao vivo muito agradável que funcionam até mais tarde, como o Fuxico Galeria Pub, o Toca Bar, o Forró do Paraíba e o Refúgio. Os locais revezam DJs e música ao vivo e oferecem atrações musicais de alta qualidade. Em algumas épocas do ano, a cidade recebe grandes festivais de música, como o Festival de Lençóis e o Santo Forró.

Para curtir uma vibe mais natureza, também é possível tomar um banho no Serrano nas noites quentes de verão e primavera. Se der a sorte de fazer a visita na Lua Cheia, a experiência será ainda mais agradável!

Quem está acostumando com a violência dos grandes centros urbanos, pode relaxar, pois Lençóis é uma cidade super segura! Mesmo depois da meia noite, é possível caminhar despreocupado pelas ruas vazias. Nesta acolhedora cidade de interior em meio às montanhas, todo mundo conhece todo mundo e assaltos não costumam acontecer, mesmo tarde da noite.

Rua da Baderna com restaurantes, Lençóis, Bahia, Chapada Diamantina (6)
Hotel, Lençóis, Bahia, Chapada Diamantina (10)

Onde comer em Lençóis?

Um dos pontos altos da viagem à Lençóis é a gastronomia, já que a cidade conta com diversas opções de restaurantes deliciosos. A maioria deles está aberta somente à noite, quando os turistas que voltam das trilhas podem experimentar cardápios que variam do popular hambúrguer (com algumas opções Gourmet deliciosas como do Bavaroise Café e Confeitaria) a menus contemporâneos inspirados no conceito Slow Food, como no Restaurante Cozinha Aberta. No final da tarde, entre 17:00 e 19:00, alguns locais oferecem double drinks como o El Jamiro e Bodega.

Restaurantes, bares e cafés concentram-se principalmente no Centro Histórico, entre a Rua das Pedras, a Rua da Baderna e a Praça Horácio de Matos. As velas acesas nas mesas em frente às casinhas coloridas e o som dos músicos na rua convidam para um agradável jantar ao som de jazz, blues e MPB de qualidade, na voz de excelentes músicos de rua! Ótimo para relaxar depois de um dia inteiro de passeios.

Há opções de onde comer em Lençóis para todos os gostos e bolsos, desde lanches, tapioca e acarajé, até pratos super elaborados com ingredientes locais e clássicos internacionais. O custo varia bastante, já que é possível comer desde um simples prato feito por cerca de R$ 20, até pratos mais sofisticados, que podem ser encontrados por cerca de R$ 65 por pessoa.

Para a hora do almoço, quando a maioria dos restaurantes está fechada, uma boa pedida é o restaurante a quilo Bode Grill, onde é possível experimentar vários pratos da culinária local e também pratos tradicionais do dia a dia com tempero delicioso de Dona Célia (R$ 50/ quilo). Também há opções de Prato Feito deliciosas e mais baratas, como o PF de Dona Ivandira (R$ 15), no Beco do Tamandaré, no centro da cidade.

Se você está interessado em uma boa experiência em comida regional, não deixe de conhecer o restaurante Sabor da Serra, que une culinária regional com releitura de grandes clássicos usando ingredientes locais, como no Risoto Baiano, que leva carne de sol desfiada reduzida na cachaça regional, cozido no caldo de abóbora com coentro. Há também opções veganas e vegetarianas como o Ravioli Regional, feito com folhas de brocólis e recheado com palma (cactus delicioso da região) e ricota fresca ao molho de tomate caseiro. Se visitar em época de “Batata da Serra”, não deixe de pedir a salada que leva esta iguaria única, encontrada apenas no alto das montanhas e que não pode ser cultivada.

Se você é daqueles que curte tomar um bom café, não deixe de fazer a degustação desta iguaria no Bistrô Café do Mato, com carta completa de cafés premiados produzidos na Chapada Diamantina e preparados por baristas. O cardápio também conta com crepes bem elaborados, com borda de parmesão torradinho e massas frescas artesanais.

Para quem curte confeitaria, pães e sorvetes artesanais, vale a pena tomar um café no Bavarois Café e Confeitaria, que tem um cardápio de hambúrgueres incríveis e diversos tipos de pães artesanais, como baguete, croissant, brioches e pães recheados. A confeitaria também é ponto forte do cardápio de comidinhas, que tem como um dos carros chefe da casa um sonho que faz jus ao nome!

Para experimentar pratos mais elaborados de alta gastronomia, visite o Cozinha Aberta, que preza pela slow food aliada a ambiente acolhedor e excelente trilha sonora. Todos os dias há uma sugestão de Menu, mas vale a pena experimentar as especialidades da casa. Outra opção mais sofisticada é o restaurante Azul, do Hotel Canto das Águas, que tem um cardápio repleto de opções especiais, como o Fettuccine de espinafre ao molho de páprica defumada e camarões, dentre outras opções que podem ser saboreadas com vistas para o Rio Lençóis.

Não deixe de colocar na sua “Bucket List” do que fazer em Lençóis uma visita aos restaurantes da cidade. Um jantar de alto nível nas charmosas ruas de pedras à luz de velas e ao som de boa música é uma experiência pra lá de prazerosa e com certeza será´inesquecível!

FAQ – Perguntas Frequentes

Aprenda mais sobre a Chapada!

Qual a melhor época do ano para visitar Lençóis?

Lençóis é um ótimo destino para ser visitado durante o ano todo. Cada estação é especial e a Chapada Diamantina tem cenários deslumbrantes em todas elas, mas cada época tem suas vantagens e desvantagens. Quando estiver planejando sua viagem, fique atento a alguns detalhes que podem ajudar na escolha das datas, como a diferença de clima e temperatura, a temporada de chuvas, a quantidade de água nas cachoeiras e o fluxo de turistas na alta temporada e feridos.

Se sua intenção for visitar as grutas durante os meses em que ocorre o fenômeno do facho de luz, é preciso se programar para a data correta. No Poço Azul, o raio de luz acontece entre os meses de fevereiro e outubro. Já no Poço Encantado, o raio é visível entre os meses de abril a setembro.

Se você é daqueles que adora festivais musicais, programe sua visita durante o Festival de Lençóis, que acontece desde os anos 2000 e já trouxe a esta charmosa cidade nomes como Maria Rita, Baiana System, Martin’ália, Saulo e outros grandes artistas consagrados da MPB tradicional e contemporânea. Nestas épocas, a cidade e os atrativos ficam bastante cheios, então, se optar por esta data, saiba que o foco deve ser aproveitar os shows. Se for da turma mais interessada em ecoturismo e curtir a natureza longe de grandes multidões, melhor evitar o período do Festival.

Os feriados nacionais e baianos, os festejos juninos do São João e os primeiros dias de janeiro também costumam ser bem lotados. A alta temporada, com maior fluxo de pessoas e preços mais altos, coincide com o período de férias escolares. Os meses de julho, dezembro, janeiro e fevereiro são os mais concorridos. 

Como chegar em Lençóis?

A Azul tem voos às quintas e domingos para Lençóis a partir de Belo Horizonte, São Paulo ou Salvador, sempre com conexões. Dependendo da época do ano e da antecedência da compra, o custo pode ser bem alto. Em compensação, a viagem saindo de Salvador até Lençóis, dura apenas 45 minutos. O aeroporto de Lençóis fica a 20 km da cidade. De lá, é possível pegar um táxi ou contratar um transfer com uma agência de viagens até Lençóis.

Outra opção para chegar em Lençóis saindo de Salvador, são ônibus da companhia Real Expresso. O trajeto dura cerca de 7 horas e faz duas paradas antes de chegar em Lençóis. Também é possível contratar um transfer privativo saindo de Salvador com uma agência de viagens.

Para quem prefere se aventurar nas estradas de carro e tem disposição para encarar 426 km de estrada, é possível fazer o trajeto saindo de Salvador. Inicialmente, pegue a BR-324 até Feira de Santana. De lá, pegue a saída 432 para a BR – 116. Este trecho é pedagiado e quase todo duplicado até a BR – 242, por onde você deve seguir até Itaberaba. De lá, continue pela BR – 242 até a BA-144/BA-850, uma pequena estradinha sinuosa que chega à Lençóis. Evite ir pela Estrada do Feijão, em Ipirá. Apesar de ser um trecho mais tranquilo e não passar por pedágios, é comum a ocorrência de assaltos neste trecho. O trajeto de carro dura de 5 a 6 horas, dependendo do fluxo de caminhões que estiverem trafegando no momento da viagem.

Para quem vem do Sudeste, a melhor opção é seguir a BR – 116 (Rio-Bahia) até Vitória da Conquista. De lá, é preciso seguir por Ibicoara, Mucugê, Andaraí, até BR-242 que dá acesso a Lençóis.

 

Quanto custa um pacote de viagem para Lençóis?

Para aqueles que não possuem tempo, experiência ou paciência para planejar uma viagem para Lençóis, uma boa opção é contratar um pacote de viagem com agência de turismo. A maioria das opções inclui transporte, guia, taxas de acesso aos atrativos e alimentação durante os passeios. Quem viaja sozinho tem mais chances de encontrar um grupo já formado para o atrativo que deseja visitar e mais duas vantagens: preços mais baixos e mais diversão!

Os valores variam muito, de acordo com a logística envolvida em cada passeio e o número de pessoas no grupo, mas é possível encontrar opções de roteiros de um dia a partir de R$ 150 por pessoa (em grupo a partir de 4 pessoas). Também há pacotes completos com hospedagem e alimentação no Vale do Pati por R$ 2.180 por pessoa (5 dias e 4 noites no Vale do Pati em grupo de 2 pessoas). No site, há diversas opções com valores por pessoa, de acordo com o tamanho do grupo. 

 

 

Como é o clima em Lençóis?

O clima semiárido, com sol durante todo o ano e poucos períodos de chuva, faz com que a Chapada Diamantina seja o destino perfeito para qualquer estação do ano. Uma vez decidido o roteiro, é preciso analisar se a viagem será melhor aproveitada no período seco ou úmido.

O clima em Lençóis é marcado por dois períodos distintos. De novembro a março, é quente e úmido, com muitas chuvas (não tão intensas) e temperaturas mais altas, acima de 30ºC. As chuvas de verão podem enlamear as trilhas e aumentar bastante o fluxo dos rios, mas as cachoeiras estarão com maior volume de água e ainda mais bonitas.

De abril a outubro costuma ser seco e com temperaturas mais baixas, o que pode desencorajar um banho de rio ou cachoeira gelados. O período de seca é muito bom para fazer trilhas, mas as altas temperaturas podem ser incômodas e o volume de água das cachoeiras reduz muito. Algumas delas, como a Cachoeira da Fumaça, seca completamente. Os dois períodos têm vantagens, por isso é preciso definir os atrativos a serem visitados para escolher o momento ideal para viajar.

 

 

Dicas para sua viagem a Lençóis, Bahia

Na sua viagem para Lençóis, algumas dicas irão fazer a diferença entre uma boa viagem e uma viagem maravilhosa. Confira abaixo algumas dicas que irão dar um upgrade na sua experiência na capital da Chapada Diamantina:

Dicas Úteis:

Bancos: A cidade tem apenas agências do Banco do Brasil e Bradesco e não há caixa 24h. Na Casa Lotérica funciona a Caixa Econômica Federal. Se visitar a cidade em épocas de feriados e alta temporada, é recomendável levar alguma quantia em dinheiro, pois em época de grande fluxo de visitantes os caixa eletrônicos costumam ficar por dias sem dinheiro. 

 

Energia elétrica: Quedas de energia são comuns em Lençóis, especialmente durante feriados ou períodos de grande lotação. A voltagem é de  220V.

 

Celular: Quatro operadoras atuam na cidade: TIM,VIVO,OI e CLARO. O código DDD é 75.

Internet: É comum que as pousadas ofereçam Wi-Fi, mas pode acontecer de não ter sinal devido à queda de energia ou manutenção da rede.

Espero que estas dicas sejam bastante úteis para planejar sua viagem à Lençóis, na Chapada Diamantina. E você, já esteve em Lençóis? Tem alguma dica que esqueci de mencionar? Conta pra gente nos comentários!

*¹ Este texto foi escrito antes da pandemia. Informe-se sobre a visitação dos locais de seu interesse, pois alguns estão fechados.